Bem-vindos ao “Estórias de Bicharocos e Bicharada”, um blogue dos 7 aos 77 anos

sábado, 28 de novembro de 2009

Condomínio Ciconiforme


- Ó mãe, mãããe!...... Mãe!!!....... Mãããããããããeeee!
- Pimpolha, filha, não grites! Não vês que estou a conversar com a vizinha?
- Mas mãe…
- Nem mãe, nem meio mãe. Acalma-te que estou a ter uma conversa muito importante com a D. Micas. Continue vizinha, estava a dizer que aqueles vizinhos novos são um bocado estranhos… Então… e porquê?
- Digo-lhe vizinha, são mesmo estranhos. Para já, embora tenham algumas semelhanças connosco… Bom, têm duas asas e duas patas, não é? Mas… são de outra cor, cinzentos… são mais baixinhos… Não sei, não me agradam… são diferentes.
- Hum… realmente, quando aqui chegaram reparei que têm uma forma diferente de voar da nossa, retraiem o pescoço e batem as asas lenta e pesadamente. Ao longe até me assustaram, cheguei a pensar que seriam águias e temi pelos nossos pequenotes.
- Sabe, é nestas alturas que fico contente por viver num condominio como o nosso, afinal em cada ramo temos um vizinho, a proximidade faz-me sentir mais segura. Mas agora com aqueles vizinhos estranhos… diferentes!... não sei, não.
- Ó mãe quando é que o pai chega do trabalho?
- Lá estás tu a interromper! Não sei Pimpolha. Foi levar um lindo bebé a um casal de humanos lá para cima, para os lados de Guimarães e concerteza vai chegar muito tarde.
- Sabe vizinha, encontrei o seu marido precisamente quando ele ía a sair. Coitado, estava a queixar-se que o bebé era muito pesado, um rapagão bochechudo mas tão bonito e tão cutchi-cutchi-cutchi!
- Já disse várias vezes ao meu Manéli, “Manéli tens de te reformar, já não tens saúde para isto homem”. Mas ele responde que não há nada que o faça mais feliz do que ver a felicidade estampada na cara de cada casal a que ele entrega um bebé. E quando são dois? Ele diz que até chora de comoção! Ái, ái, é assim o meu Manéli, um sentimentalão! Tem um coração do tamanho do mundo!
- Mãe, estive a falar com os vizinhos novos.
- O quê Pimpolha?!! O que é que já te disse sobre falares com estranhos? Nunca faças isso, podem enganar-te com conversas matreiras e fazer-te mal. Não quero dizer que todos os estranhos sejam maus, mas é preciso ter cuidado. Repito, és muito pequenina e podes ser facilmente enganada.
- Mãe, não te preocupes, estava lá também o Sr. Nónio. Aliás, foi ele que conversou com os vizinhos novos, eu fiquei a ouvir.
- Ah, assim fico mais descansada.
- Sabes, eles não entregam bebés como nós.
- Não?!!!
- Não.
- Eu bem digo vizinha, são mesmo estranhos!
- Não são, não! Mãe, D. Micas, as garças são um bocadinho diferentes de nós mas são muito, muito simpáticas. Elas contaram que andam de condominio em condominio a ver se existe alguém que precise de ajuda, como por exemplo, uma cegonha que já não possa voar, e trazem-lhe peixinho para comer. E mais, recrutam outras aves para ajudar também. Assim, quando se vão embora, fica alguém a tomar conta dessa cegonha.
- Ahhh, e eu que pensava que mais ninguém tinha um coração tão grande como o meu Manéli!
- Pois é mãe, pois é D. Micas, não devemos recear e julgar quem é diferente de nós, de outro tamanho, de outra cor… Primeiro devemos saber como realmente são!
- E não querem ver que tenho uma filhota que sabe dar bons conselhos! Tenho muito orgulho de ti, minha Pimpolha!
- Isso quer dizer que hoje posso repetir a sobremesa? Posso, posso?
- Não abuses!… hehehe



Queres saber mais sobre as aves que participam nesta estória? Então vai ver:
Cegonha-branca:
http://www.avesdeportugal.info/ciccic.html

Garça-real:
http://www.avesdeportugal.info/ardcin.html



Texto de Helena Paixão (Todos os direitos de autor reservados)

43 comentários:

Chris 29 de novembro de 2009 às 00:57  

Que eras uma boa fotografa já sabia, que tamnbém escrevias e tinhas tanta imaginação, não sabia!
Uma bela surpresa a continuar.

Beijos

aa 29 de novembro de 2009 às 01:49  

Olá Helena,
mais uma prova da tua arte de bem fotografar e escrever... Adorei as fotos e o texto!
Não posso deixar de comentar a primeira foto, pois é incrível como todas as árvores têm um ninho de cegonha e/ou garça...! Lindíssimo este condomínio!
Beijinhos e bom domingo.
AA

Lenita Nabais 29 de novembro de 2009 às 12:52  

Parabéns! Para além de boa fotógrafa... boa escritora!Já dei a conhecer esta bela história ilustrada a muita gente dos meus contactos! Uma estória que tem muito a ver com valores humanos:
- Porquê fazermos ideias pré-concebidas dos outros??????
- Por que razão não sabemos por vezes ouvir os outros!
Como todas as boas histórias, tem uma boa lição de moral!
Estás uma MESTRE! Beijinhos :)

Ana Lúcia 29 de novembro de 2009 às 15:40  

Adorei a história. Mesmo boa para contar às crianças. E já nem falo das cegonhas :) as imagens estão extraordinárias como de costume.

Earnest 29 de novembro de 2009 às 16:43  

Very informative and very wonderful photos too... a great blog. Thanks for visiting mine!

Ana 29 de novembro de 2009 às 17:53  

Querida Leninha estou a adorar estes diálogos maravilhosos que inventas com as tuas magníficas imagens.
Penso que o que te custou mais foi começar a escrever, mas afinal com a imaginação que tens não vai ser difícil continuares.
Fico à espera do próximo conto, para ler ao meu Guga, porque ele adora!!!:-))
Aqui para o Norte também já há muitos ninhos de cegonhas, até nas placas da auto-estrada, imagina!:-))
Um grande beijinho repleto de carinho,
Ana Paula

tossan® 29 de novembro de 2009 às 18:33  

Helena, o que dizer estou sem palavras com o verdadeiro show de fotos e texto. Muito bom mesmo! Beijo

Fernando Santos (Chana) 29 de novembro de 2009 às 19:49  

Belas fotografias, belo texto...Espectacular....
Beijos

Nadia Mendes 29 de novembro de 2009 às 20:16  

bbbbzzz Lindo amiga! és uma verdadeira artista! Em todos os sentidos. Um beijinho grande e espero que esteja tudo bem com vocês.
Bjokas.

JMV 29 de novembro de 2009 às 21:02  

Gostei da mensagem da história.E é mesmo um condomínio,a avaliar pela fotografia.

Nuno de Sousa 29 de novembro de 2009 às 23:24  

Mais um grande momento de pura escrita, cómica e interessante lá para as terras do Alentejo...
Gostei mto e estou a ver q vais ter um grande futuro não só na fotografia mas também a escrever e já me estou a imaginar a fotografar o lançamento do teu 1ª livro escrito com fotos tuas... :-) vamos a ele...
Bjs grandes e parabéns paixão... minha é claro eheheh
Nuno

Ajay 30 de novembro de 2009 às 01:17  

Looks like a beautiful colony of the birds made by someone. I wish I was there too to have such nice photographs.

webruci 30 de novembro de 2009 às 07:53  

Muito bonito! Adorei a historia, e as fotografias... Todos sao uma maravilha, nao se pod no seguir:)

Rafeiro Perfumado 30 de novembro de 2009 às 11:35  

Até consigo imaginar as reuniões de condomínio, deve ser cá uma chinfrineira que ninguém se entende! ;)

Beijoca!

Sandra Rocha 30 de novembro de 2009 às 11:48  

Eh lá fiquei de boaca aberta quando vi que o texto é teu, está fantástico, e com uma boa lição: todos iguais, todos diferentes :)
Parabéns por este belo conjunto.
Beijinhos.

Marta 30 de novembro de 2009 às 11:57  

Está engraçada a história, com muito humor e as fotografias estão uma maravilha...
Obrigada pela visita...
Até já
Beijos e abraços
Marta

Ifthikhar 30 de novembro de 2009 às 14:22  

Nice shots as usual!....loved it...But am repeating you to include a translating option too...i couldn't understand a word! :(

Maria, Simplesmente 30 de novembro de 2009 às 21:50  

Parabéns Helena, um texto muito adequado às belas fotografias e ao momento actual.
O medo do outro é cada vez mais evidente e são as crianças que podem modificar esta realidade.
Vivemos tempo demais numa sociedade fechada, cheia de muros, portas e cadeados.
As suas fotografias são duma grande beleza e bom gosto.
Obrigada
Maria

Sônia Brandão 1 de dezembro de 2009 às 01:47  

Belíssimas fotos. E muito interessante o texto falando sobre as diferenças.
Poderia fazer um livro. Seria muito interessante.

alfacinha 1 de dezembro de 2009 às 14:41  

Gostei da narrativa, principalmente o moral que se abriga no fim do texto "não devemos recear e julgar quem é diferente de nós, de outro tamanho, de outra cor… Primeiro devemos saber como realmente são!" Acho muito lindo.
cumprimentos de Antuérpia

Gata Verde 1 de dezembro de 2009 às 17:17  

Estas "meninas" são um mimo!!
Adorei a tua última foto!

beijocas

Remus 1 de dezembro de 2009 às 17:24  

Este condomínio não era para mim. Parece ser de luxo e por isso não dá para a minha carteira. :-)

Como sempre uma história deliciosa, alimentada com umas fotografias que nos dão liberdade para sonhar.
Parabéns.

Mika 1 de dezembro de 2009 às 21:32  

Excelentes fotos enquadradas no texto. Parabens
Abraço

Miguel

Sofá Amarelo 1 de dezembro de 2009 às 23:09  

Bom, a máquina fotográfica foi um chamariz irresistível... e parece que em boa hora pois continuo descobrindo blogues cada vez mais fantásticos... fotos destas nem eu consegui fazer ainda... e quando as fotos são condimentadas com um texto elucidativo, está tudo dito.

Parabéns! Muitos beijinhos. Deixo um convite para uma passagem pelo Sofá Amarelo!!!

Su 1 de dezembro de 2009 às 23:57  

Adorei as fotos e a narrativa é muito boa!

bjos!

gotadevidro 2 de dezembro de 2009 às 02:09  

As tuas fotos são sempre belas e de uma nitidez maravilhosa.

A par disso o teu texto está interessante e hilariante

Parabéns

bjinhos

Oris 3 de dezembro de 2009 às 13:24  

Gostei muito de te visitar...

O texto ilustrado com as excelentes fotos são um incentivo para voltar...

Parabéns.

Beijitos

Elena 3 de dezembro de 2009 às 16:43  

Felicitarte por tu excelente blog. Gracias por tu visita. Un saludo.

pipocas 3 de dezembro de 2009 às 23:02  

Gostei imenso das fotos e da história e fiquei fascinada com a lição que conseguiu transmitir na sua história.
Continue a encantar-nos com as suas histórias bem acompanhadas por lindas fotos.
Beijos

One 4 de dezembro de 2009 às 01:59  

Eu realmente gostei da história e as imagens são fantásticas! Parabéns :)

AB 4 de dezembro de 2009 às 15:02  

Adorei o espaço pelas fotos e pela sua imaginação adorei a história. Se me permitir vou voltar mais vezes.
Bom fim de semana

Nilson Barcelli 4 de dezembro de 2009 às 23:42  

As fotos, magníficas, como é habitual.
A história surpreendeu-me agradavelmente. Muito criativa na abordagem dos preconceitos (e até racismo) que existem entre as pessoas.
Uma história leve, engraçada, mas muito séria.
Parabéns querida amiga, atingiste a excelência neste post.
Bom fim de semana.
Beijos.

A. Caeiro 6 de dezembro de 2009 às 21:22  

Belissimas imagens.

Valentim Coelho 7 de dezembro de 2009 às 18:11  

Olá Helena,
Mas que habitat tão peculiar têm estas cegonhas. Gostei de ver esses troncos todos a servir-lhes de suporte para os ninhos. Por cá elas preferem as chaminés ou os postes de electricidade.
As fotos e os textos estão excelentes.
Beijos

Kafia 10 de dezembro de 2009 às 00:53  

Obrigada!!! Será algo...espero... muito bom! Já ha algum tempo que nao passava por ca.
Saudades, confesso. A helena esta cada vez melhor. Acho um blogue para todas as idades

As fotos estao mt boas. Nunca tive a oportunidade de fotografar nada do genero infelizmente

Beijinhos

▒▓█► JOTA ENE 12 de dezembro de 2009 às 23:23  

ººº
Muito bonito... história e fotos


Bom f-d-s

BoB 15 de dezembro de 2009 às 14:42  

What a curious place, great images.

Carla 17 de dezembro de 2009 às 16:27  

que te posso dizer?
adorei as imagens (que crias como ninguém) e as tuas palavras são mágicas. parabéns e um beijo enorme

Maria Clarinda 19 de dezembro de 2009 às 00:39  

Maravilha, mais uma extasiei-me a ver as tuas foto e a tua escrita aliadas nun conjunto perfeito!
Jinhos mil

Mariz 19 de dezembro de 2009 às 03:18  

Amiga..

Que lindo!Como sempre...
Fotos e texto...e que mais tens para vir á LUZ?
Venho pedir desculpa pela ausência, mas não por esquecimento, pois estás no meu coração; mas sim, porque há já algum tempo a evolução de muitos problemas e as resoluções de alguns, foram drásticas e implicaram despedidas - tudo convergiu para uma nova viragem de vida. Tanto assim, que perdi a vontade de vir para a blogosfera. E faço um esforço enorme para "postar" algo; só o faço porque tomo isso como "serviço"/missão - para que hajam outras almas, que no seu "despertar"se revejam infimamente no que escrevo.... - se assim não acontecesse, já teria fechado os blogs.
Portanto, restam-me os comentários que acabam dia Ano Novo.
Limito-me aos mails.
Deixo um presentinho de Natal que elaborei para todos os amigos/as.
Como estou sózinha - nesta como noutras Quadras - foi a pensar em vós, que o poema foi elaborado; assim, estão comigo em pensamento num quadro falado, como lá refiro:
"velas, almofadas, mantas, bolo de mel, vinho velho e....conversando até ás tantas,
ao som de"....

(cicka e vê)
Deixo os meus Maiores votos....
Com as Bençãos que a Divindade em mim, te entrega....
Com o incenso que coloco a arder limpado a atmosfera que respiras....
Pego nas tuas mãos, e inclinando-me sobre a tua testa, pouso um suave beijo, e baixinho murmuro:
onde estiveres, o que fizeres estou contigo


Sempre...

Mariz

gotadevidro 19 de dezembro de 2009 às 18:11  

Olá....

Vim desejar-te um Bom Natal na companhia dos que mais amas.

Obrigada pelas sempre agradáveis visitas.

bjitos da gota

Gata Verde 20 de dezembro de 2009 às 15:34  

Feliz Natal!!
Espero que o Ano 2010 te traga muita inspiração para nos proporcionares excelentes fotos como até aqui!

Beijinhos

Adrian LaRoque 23 de dezembro de 2009 às 22:41  

Merry Christmas and a Happy New Year to you and your family. Enjoy the season!

Fotografias © Helena Paixão

Textos e poemas © Autores referidos em cada ‘post’

Fotografias, textos e poemas protegidos pelo Código dos Direitos de Autor

Postais de Paixão no Flickr

www.flickr.com
Esse é um módulo do Flickr que mostra fotos e vídeos públicos de Helena Paixão (busy, busy). Faça seu próprio módulo aqui.

Receba as actualizações deste blogue

Introduza o seu endereço de e-mail aqui:


Powered by FeedBlitz

Bichinhos carpinteiros

Bichinhos à espreita

  © Blogger template 'The Lake' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP